especial-uniao-desportiva-de-calendario

Desporto

Especial: União Desportiva de Calendário

4 min. 11.10.2018

Presidente

Rui Faria, presidente da UD Calendário

“Os jogadores vão honrar o emblema e suar a camisola”

A comemorar os primeiros cinco anos de vida, a União Desportiva de Calendário decidiu dar uma prenda aos associados. Depois de algumas épocas a competir na Inatel, o emblema famalicense optou por incorporar a equipa sénior nas provas da Associação de Futebol de Braga.

“Depois da conclusão das obras no complexo, este era um dos propósitos do clube. As expectativas não são muito elevadas e considero que este será um ano de aprendizagem”, vincou Rui Faria, com a confiança de que a UD Calendário conseguirá “surpreender e dar muitas alegrias à massa associativa”.

Nessa perspetiva, o presidente não estabelece a subida como meta a atingir, garantindo apenas que os jogadores vão “honrar o emblema e suar a camisola”.

A juventude do clube encontra, de resto, paralelo ao nível do plantel e da equipa técnica. “Conseguimos construir um grupo jovem e equilibrado, do qual fazem parte cinco ex-juniores. Além disso, reconheço muita capacidade a um treinador que está a iniciar a carreira a nível sénior”, argumenta.

O evidente crescimento do clube tem motivado muito entusiasmo entre a massa associativa: “o nome de Calendário começa a ser associado ao futebol e esse bairrismo é importante, pois dá-nos mais estímulo para lutar pela vitória”.

Incentivos que estão igualmente na génese da evolução das camadas jovens. O número de atletas tem vindo a crescer época após época e tal situação “é mais um reconhecimento da qualidade com que se trabalha no clube”.

 Treinador

Nelson Carvalho, treinador da UD Calendário

“A subida não pode ser um objetivo imediato”

A temporada 2018/2019 apresenta um novo desafio à UD Calendário. A opção do clube em militar nas provas organizadas pela Associação de Futebol de Braga constitui mais um passo no processo de crescimento idealizado pela direção, que confiou em Nelson Carvalho, de 29 anos, a responsabilidade de orientar a equipa nesta temporada marcante.

“Será uma competição diferente da que o clube estava habituado. Queremos praticar bom futebol e encarar todos os jogos para ganhar”, aponta Nelson Carvalho.

A experiência é mais aliciante do que a das épocas anteriores. No entanto, existe a convicção de que o processo terá de exigir alguma prudência. “A subida não pode ser um objetivo imediato. A direção delineou um projeto a longo prazo, que contempla esse desígnio de ascender mais um patamar”.

A novidade acarretou, todavia, alguns riscos para a equipa técnica. “A construção do plantel foi difícil. Conseguimos convencer jogadores que estavam parados a regressar à competição e sinto que todo o plantel está muito agradado com o projeto”, salienta, desejoso de “criar um grupo coeso, forte e unido para enfrentar as batalhas da temporada”.

O calendário reserva muitos dérbis, jogos nos quais não “será preciso motivar os jogadores”. Motivação que, defende o treinador, poderá ser transmitida pela massa adepta. “Este será um ano com expectativas baixas e, nesse sentido, pedimos que apoiem os jovens deste plantel”.

 

1 / 0
Opinião Pública - 250
Pub - Ulahlah - 250-1

Diário

opiniao-publica

Tudo sobre Famalicão no seu e-mail

Subscreva a nossa newsletter
e acompanhe a atualidade famalicense.