brufe-e-seide-desenvolvem-projetos-comunitarios-de-economia-circular

Notícias

Brufe e Seide desenvolvem projetos comunitários de economia circular

3 min. 27.06.2018

As comunidades das freguesias de Brufe e da União de Freguesias de Seide acabam de ver aprovados pelo Governo de Portugal, no âmbito do programa “JUNTAr - Economia Circular em Freguesias”, os seus projetos  de “Reciclagem e reutilização de produtos de apoio – Sem Fim” e de “Aldeia Circular”, respetivamente, que vale uma comparticipação estatal fixa de 25 mil euros a cada candidatura para desenvolvimento das mesmas, o que corresponde a um cofinanciamento de 85% pelo Fundo Ambiental.

As propostas foram geradas no seio da comunidade e encabeçadas pelas Juntas de Freguesia com apoio técnico do Município de Famalicão no contexto da Estratégia Concelhia de Desenvolvimento Territorial Integrado que o município está a prosseguir e que distribui responsabilidades concretas pelo território através das Comissões Sociais Interfreguesias.

Os dois projetos têm em vista o desenvolvimento de soluções locais amigas do ambiente que valorizam a poupança de recursos materiais, através do uso partilhado e colaborativo, da reparação e da reciclagem com valor acrescentado.

No caso de Brufe, o projeto “Sem Fim – reciclagem e reutilização de produtos de apoio” pretende ser uma resposta que promova uma solução local de economia circular para a reparação e reutilização comunitária de produtos como camas articuladas, cadeiras de rodas e equipamentos eletrónicos. Para isso, será criada uma oficina para reparação e armazenamento dos produtos, e paralelamente será desenvolvida uma plataforma eletrónica de gestão dos materiais e serão desenvolvidas campanhas de sensibilização da população para a doação e recolha dos materiais.

 

Freguesia de Brufe

Freguesia de Brufe

 

Por sua vez, a União das Freguesias de Seide apresentou o projeto “Aldeia Circular”, que como objetivos a concretização de um Espaço de Compostagem comunitário, a instalar num terreno público sem utilização, e a criação de um Mercado de Troca por Troca, que visa promover a troca de composto por livros usados, fomentando o envolvimento da comunidade local na dinamização de um modelo de economia colaborativa e de partilha. No Espaço de Compostagem será produzido composto a partir de resíduos orgânicos recolhidos em estabelecimentos locais da pequena distribuição alimentar e restauração. Do composto produzido, uma parte será utilizada numa horta biológica, a outra parte será integrada no Mercado de Troca por Troca, através do qual os cidadãos poderão trocar produtos de interesse comunitário pelo composto que necessitam.

De acordo com a candidatura, o projeto tem como intuito estratégico a implementação de um modelo local de economia circular contribuindo para a diminuição da ocorrência e valorização de resíduos orgânicos da restauração e comércio alimentar, para aumentar o tempo de vida útil de bens, para fomentar a leitura e o desenvolvimento social. Também neste caso, para a concretização do projeto foi constituída uma rede de parceiros diversificada, inserida na Comissão Social Interfreguesias de Avidos, Lagoa, Landim e Seide.

1 / 0
Norte2020 - 250
Opinião Pública - 250
Pub - Ulahlah - 250-1

Diário

opiniao-publica

Tudo sobre Famalicão no seu e-mail

Subscreva a nossa newsletter
e acompanhe a atualidade famalicense.