empresa-famalicense-scoop-lanca-casaco-que-brilha-no-escuro

Notícias

Empresa famalicense Scoop lança casaco que brilha no escuro

2 min. 11.09.2018

Chegou na passada segunda-feira ao mercado nacional um casaco tecnológico 100% português dotado de iluminação inteligente com fibras óticas. A peça de vestuário destina-se a quem anda a pé, faz corrida ou circula de bicicleta e pretende ajudar a combater a sinistralidade de peões e ciclistas nas estradas, a partir da ideia de controlar o escuro, ou seja, o ambiente em que acontecem 75% dos acidentes com peões.

Por detrás deste novo conceito está a empresa famalicense Scoop, especialista em têxteis técnicos, que se associou às startups Vime e Lapa, para em conjunto desenvolverem o Musgo.

Este casaco iluminado dispõe de uma aplicação móvel para utilização em smartphone, que permite selecionar a cor, a intensidade e a frequência do efeito de piscar, quer manualmente, quer utilizando os sensores existentes em qualquer telemóvel.

“O sistema de iluminação inteligente com fibras óticas que desenvolvemos aumenta a segurança dos utilizadores através da iluminação ativa e é ‘inteligente’ graças ao recurso a sensores que existem num smartphone e que ajudam, por exemplo, a sinalizar a travagem de um ciclista ou informar um trabalhador que saiu da área de segurança”, explica Filipe Magalhães, diretor científico e tecnológico da Vime.

É a partir de Cavalões, que a Scoop produz vestuário técnico para ski e montanha, golfe, ténis e fitness. No currículo da empresa está o fabrico dos equipamentos para a equipa olímpica de inverno da Rússia, o fardamento para a Federação Italiana de Ski e para a Expo’98 ou o vestuário para a edição comemorativa dos 50 anos da Liga de Futebol Norte-Americana.

Em comunicado, os promotores adiantam ainda que “a tecnologia do Musgo permite sinalizar automaticamente a travagem/desaceleração de um ciclista para os condutores em redor, indicar automaticamente a um caminhante/corredor que alcançou uma determinada localização geográfica ou avisar automaticamente um trabalhador que ultrapassou um perímetro de segurança”.

Para produzir o casaco, os promotores do Musgo acabam de lançar uma campanha de crowdfunding com a qual esperam angariar cerca de 70 mil euros.

1 / 0
Opinião Pública - 250
Pub - Ulahlah - 250-1

Diário

opiniao-publica

Tudo sobre Famalicão no seu e-mail

Subscreva a nossa newsletter
e acompanhe a atualidade famalicense.