pedro-mexia-explica-para-que-servem-os-conhecimentos-inuteis

Notícias

Pedro Mexia explica para que servem os conhecimentos inúteis

2 min. 25.09.2018

Um dos conhecidos membros do programa “Governo Sombra” está na quarta-feira, dia 26, na Universidade do Minho, para explicar aos alunos para que servem os conhecimentos inúteis. Pedro Mexia fala às 17h30, no auditório B1 do campus de Gualtar, em Braga, na abertura de mais uma edição do EEGenerating Skills - Programa de Desenvolvimento de Competências Transversais da Escola de Economia e Gestão da UMinho.

Num mundo em acelerada mudança e cada vez mais complexo, quais são os conhecimentos mais importantes? Excel? Stata? R? Bases de dados? Planeamento e organização? Tecnologias de Informação? Estas são algumas das perguntas que vão marcar a sessão, organizada a pensar também nos novos estudantes da academia. Sobre estas ferramentas “úteis”, Pedro Mexia “pouco ou nada” terá a dizer. Em vez disso, o escritor aproveita para discutir a utilidade dos conhecimentos inúteis, como ler um romance, observar um quadro ou ver um filme. “Poderão estes conhecimentos ajudar as pessoas a conhecerem-se melhor, serem mais criativas, apurarem o sentido crítico e terem maior capacidade de comunicação?”, lança o orador convidado.

Nascido em Lisboa há 46 anos, Pedro Mexia licenciou-se em Direito pela Universidade Católica Portuguesa. É consultor cultural da Presidência da República, colaborador do semanário “Expresso” e membro do programa de comentário político e humor “Governo Sombra” (TSF/TVI24), juntamente com Ricardo Araújo Pereira, João Miguel Tavares e Carlos Vaz Marques. Já dirigiu a Cinemateca Portuguesa, publicou vários livros de poesia, escreveu crítica literária e crónicas para os jornais “Diário de Notícias” e “Público”, além de coordenar volumes de obras de outros autores. Em 2015 e 2016 fez parte do júri do Prémio Camões.

1 / 0
Pub - Ulahlah - 250-1
Opinião Pública - 250

Diário

opiniao-publica

Tudo sobre Famalicão no seu e-mail

Subscreva a nossa newsletter
e acompanhe a atualidade famalicense.