falta-de-medicamentos-leva-farmacias-a-subscreverem-abaixo-assinado

Notícias

Falta de medicamentos leva farmácias a subscreverem abaixo-assinado

1 min. 03.02.2019

A notícia foi avançada pelo Correio da Manhã na edição deste domingo. Há falta de medicamentos nas farmácias. As queixas chegam de farmácias espalhadas por todo o país.

No abaixo-assinado que está a circular, as farmárcias queixam-se da "degradação do sistema de distribuição" de remédios e numa "generalizada escassez de medicamentos". Os signatários pedem à autoridade nacional do medicamento para que tome medidas "pela garantia da saúde dos portugueses".

Segundo o documento, a escassez de fármacos reflete-se quando "diariamente sao numerosos e reiterados os pedidos de fornecimento que nao sao satisfeitos", ou ou quando o são acontecem de "forma rateada, claramente insificiente para suprir acarencia que se verifica". Noutros casos, adianta o texto o fornecimento é assegurado apenas varios dias apos os pedidos terem sido feitos.

Reacção do Infarmed

O Infarmed já pediu às farmacias mais informaçoes sobre as queixas de falta constante de medicamentos nos pontos de venda.

A autoridade do medicamento disse esta manhã à TSF que recebeu o abaixo assinado de 24 farmacias e prontamente pediu informaçoes adicionais para saber quais os distribuidores
que não estarão a cumprir o dever de fornecimento e quais os medicamentos que as farmacias tentaram comprar e nao conseguiram.

Relatório já apontava falhas

Há 2 semanas, um relatorio da Associação nacional de Farmácias indicava que no ano passado faltaram 64 milhoes de embalagens de remédios. Em dezembro, 66% das farmácias do país reportaram falta de medicamentos. Os remedidos mais em falta são o Sinemet (para a doença de alheimer), o Trajenta (diabetes) e Aspirina GR (tromboses).

1 / 0
Pub - Ulahlah - 250-1

Diário

opiniao-publica

Tudo sobre Famalicão no seu e-mail

Subscreva a nossa newsletter
e acompanhe a atualidade famalicense.