presidente-e-governo-de-cabo-verde-acarinham-grupo-aco

Negócios

Presidente e Governo de Cabo Verde acarinham grupo ACO

3 min. 03.10.2018

O Governo de Cabo Verde esteve representado ao mais alto nível nas comemorações dos 25 anos da ICCO – Indústria de Componentes e Calçado Ortopédico, a empresa que o famalicense Armindo Costa fundou em 1993, como estratégia de internacionalização da ACO, empresa-mãe do grupo com sede em Mogege.

Depois de no passado dia 15 de setembro o Primeiro-ministro de Cabo Verde ter participado na cerimónia de cantar os parabéns, esta semana, foi a vez de o Presidente da República daquele país, Jorge Carlos Fonseca, visitar a empresa de Armindo Costa.

Recebido por Paula Costa, administradora do grupo ACO Shoes, e por Eduarda Martins, diretora da ICCO, nesta terça-feira, 2 de outubro, o Presidente de Cabo Verde contactou com os trabalhadores e ficou ao corrente dos projetos de ampliação da fábrica, com a instalação de uma nova unidade produtiva e a construção de uma nova cantina. Um investimento que está em fase de arranque e que deverá implicar "a criação de 60 novos postos de trabalho", segundo revelou Paula Costa. Refira-se que a ICCO emprega atualmente 250 pessoas.

Duas semanas antes, a celebração do aniversário aconteceu ao jantar, no Hotel Porto Grande, em Mindelo. O primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, presidiu à cerimónia, ao lado de Armindo Costa, do ministro do Comércio e Indústria, do presidente da Câmara de São Vicente e todos os colaboradores da empresa.

Armindo Costa, por seu turno, tinha com ele toda a família, com destaque para os filhos Paula Costa e Fernando Costa e para o neto Diogo Costa, que estão a trabalhar no grupo.

O primeiro-ministro declarou que o seu Governo atribui “particular importância” às empresas que operam no setor exportador, por se tratar de uma área “essencial para Cabo Verde”, também geradora de empregos e rendimentos.

Para Ulisses Correia, mais do que comemorar 25 anos de existência, o momento é de celebrar “a capacidade empreendedora, o compromisso com Cabo Verde e com São Vicente”, de um empresário que “acreditou em Cabo Verde e investiu”. Por isso, assegurou que o seu Governo continua “muito interessado” em desenvolver, em conjunto, as medidas que se “mostrarem necessárias para a ICCO continuar a crescer, a exportar, a investir e a criar postos de trabalho, emprego e rendimento” para os seus colaboradores.

Armindo Costa, por seu lado, disse querer continuar a contar com a “excelência da mão-de-obra” cabo-verdiana, numa empresa cujo calçado é vendido em 37 países dos vários continentes, nos mercados “mais desenvolvidos do mundo”. Anunciou projetos para fazer a ICCO crescer, “mas há problemas de infraestruturas e de logística que precisamos ultrapassar”, advertiu, ao mesmo tempo que se mostrava “convicto na sensibilidade” do Governo às questões relacionadas com a eficácia no escoamento dos produtos da empresa.

Por fim, e como prenda de aniversário, Armindo Costa anunciou que vai ser processado um mês de salário extra a todos os trabalhadores que se encontravam na empresa em 31 de dezembro de 2017.

1 / 0
À conversa com... Quim
Opinião Pública - 250
Pub - Ulahlah - 250-1

Diário

opiniao-publica

Tudo sobre Famalicão no seu e-mail

Subscreva a nossa newsletter
e acompanhe a atualidade famalicense.