gabriel-couto-vai-construir-aerodromo-em-mocambique

Negócios

Gabriel Couto vai construir aeródromo em Moçambique

2 min. 23.10.2018

O Grupo Gabriel Couto, sediado em Famalicão, foi selecionado para construir um Aeródromo em Moçambique como parte do plano da Anadarko para desenvolver um parque industrial para o processamento de gás natural liquefeito na península de Afungi. A construção deste novo aeródromo está localizada perto da cidade de Palma, província de Cabo Delgado.

O contrato celebrado entre a Gabriel Couto e a Anadarko compreende a conceção e construção de uma pista para operar aeronaves até ao Boeing 737, e incluirá uma pista de 2300 m de comprimento, além da construção de um terminal para 150 passageiros e outros edifícios de apoio à pista de aterragem. Esta infraestrutura também será dotada de todo o equipamento de navegação aérea correspondente.

O prazo total do projeto é de 21 meses, englobando duas fases diferentes. A primeira fase contemplará a construção de uma pista de 1600 m de extensão, uma área de estacionamento para quatro aeronaves e um helicóptero, além da construção do terminal de passageiros, vias de acesso e estacionamento. A segunda fase incluirá a extensão da pista até 2300 m, aumentando a capacidade operacional do Aeródromo para aeronaves e aviões, como o Boeing 737.

“Trata-se da primeira empreitada da Gabriel Couto no âmbito do sector do Oil & Gas, setor da Engenharia reconhecido como dos mais exigentes do ponto de vista de padrões de Segurança e Qualidade”, refere Tiago Couto, diretor da construtora famalicense.

“No mercado internacional, continuamos muito focados nos mercados onde a empresa já se estabeleceu, nomeadamente na América Central, e em especial nas Honduras, bem como em África, particularmente na Zâmbia, e agora em Moçambique onde reforçamos a nossa posição. Estamos já presentes em três continentes e10 países”, salienta, por seu lado, Carlos Couto, CEO da construtora, a qual prevê para este ano um volume de negócios global a rondar os 125 milhões de euros, dos quais 55 milhões são em Portugal.

Numa altura em que o Grupo Gabriel Couto está a celebrar os 70 anos de existência e operações, este marco fica registado com o alargamento de novos horizontes para esta construtora, que se “mantém na senda da excelência e do empreendedorismo”, acrescenta Carlos Couto.

1 / 0
À conversa com... Quim
Pub - Ulahlah - 250-1
Opinião Pública - 250

Diário

opiniao-publica

Tudo sobre Famalicão no seu e-mail

Subscreva a nossa newsletter
e acompanhe a atualidade famalicense.