greve-dos-motoristas-vai-continuar

Notícias

Greve dos motoristas vai continuar

3 min. 17.08.2019

A greve dos motoristas de matérias perigosas vai continuar. A reunião entre a Antram e o sindicato dos motoristas de matérias perigosas, que aconteceu ontem, teve a duração de 10 horas e foi inconclusiva. Por isso, a falta de acordo entre as partes faz com que a greve continue.

Em causa está a proposta apresentada pelo Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), à qual a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (Antram) considera ser “incomportável para as empresas e discriminatória para os associados dos outros sindicatos do setor”. O porta-voz da Antram espera que no plenário marcado para este domingo “haja uma sensibilização dos associados e que possam compreender que as empresas estão no seu limite".

A reunião que ocorreu ontem, teve a duração de 10 horas e terminou sem acordo. A longa maratona negocial teve propostas e contra propostas. André Matias, porta-voz da Antram, no final da reunião, referiu que uma das propostas entregues pelo sindicato passava pelo aumento em 40% o valor do subsídio de operações já aceite pelos outros sindicatos. O representante da Antram considerou que a proposta é “incomportável para as empresas".

“A Antram quer tratar todos os trabalhadores por igual e, nessa medida, não pode deixar de disponibilizar para com este sindicato acordar nos moldes que o fez com os outros sindicatos”, explicou a associação no final da do encontro.

Pedro Nuno Santos referiu que na reunião estiveram em debate propostas do SNMMP e da Antram. O ministro contou que na quarta-feira alcançaram “um acordo histórico entre a Fectrans e a Antram e, depois de o SIMM [Sindicato Independente de Motoristas de Mercadorias] se ter juntado à via negocial para resolver o conflito, o Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas pediu uma reunião”.

Pedro Nuno Santos adiantou que “houve propostas de parte a parte, tanto do sindicato como da Antram, que foram respetivamente recusadas”. No final, o ministro revelou que o Governo vai continuar atento e apelou que motoristas escolham a “via negocial”, no plenário marcado para este domingo.

Em decalarações à agência Lusa, o porta-voz do SNMMP disse que a Antram rejeitou uma proposta negociada ao longo de 10 horas com o ministro das Infraestruturas. Por consequente, a greve vai continuar.

“Trabalhámos em conjunto com o senhor ministro uma proposta que seria razoável para desbloquear a situação. A Antram rejeitou a proposta e a greve mantém-se”, declarou Pedro Pardal Henriques.

1 / 0
Pub - Ulahlah - 250-1

Diário

opiniao-publica

Tudo sobre Famalicão no seu e-mail

Subscreva a nossa newsletter
e acompanhe a atualidade famalicense.