ninguem-era-apenas-um-numero-the-new-york-times-homenageia-vitimas

Notícias

"Ninguém era apenas um número." The New York Times homenageia vítimas

3 min. 24.05.2020

O jornal norte-americano The New York Times dedica a primeira página da edição de hoje a mil vítimas mortais do coronavírus, para assinalar a iminente passagem do número de 100.000 mortes nos Estados Unidos.

O New York Times dedica a sua primeira página à memória de mil pessoas que morreram devido à pandemia da covid-19 e evoca a vida de cada uma.

 “Estas mil pessoas representam apenas um por cento do total. Nenhuma delas era apenas um número”, escreve o jornal na capa, que se encontra totalmente preenchida por texto.
 
Os Estados Unidos são o país mais afetado pela pandemia de coronavírus, tanto em número de mortes quanto em casos, com 97.087 mortes para 1.621.658 casos, de acordo com os dados mais recentes.

Segundo a agência France-Presse, no sábado, os Estados Unidos registaram 1.127 novas mortes em 24 horas, e atravessar a marca de 100.000 mortes aparenta ser uma questão de dias.

Entre as vítimas mortais da covid-19 citadas pelo The New York Times, estão Joe Diffie, 62 anos, de Nashville, “estrela da música country distinguida por um Grammy”, e Lila A. Fenwick, 87 anos, de Nova Iorque, a “primeira mulher negra a formar-se na Harvard Law School”.

Da lista também constam Myles Coker, 69 anos, de Nova Iorque, que foi “libertada após ser condenada à prisão perpétua”, e Jordan Driver Haynes, 27 anos, de Cedar Rapids, Iowa, um “jovem generoso com um sorriso encantador”.

“Eu queria algo que as pessoas pudessem reler daqui a 100 anos para entender o peso do que estamos a passar”, disse Marc Lacey, chefe de redação do jornal norte-americano, para justificar a primeira página da edição deste domingo.

A passagem esperada da marca de 100.000 mortes por covid-19 surge no contexto de debates sobre o confinamento, quando vários estados se comprometem a facilitar as medidas restritivas decididas contra a propagação da doença.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, candidato à reeleição em novembro, preocupado com a recuperação económica, está a pedir aos governadores democráticos que “libertem” o seu Estado, num desafio aos avisos dos consultores científicos.

No sábado à noite, Trump escreveu no ‘Twitter’ “transição para maior”, usando o ‘slogan’ com que defende a reabertura da economia, o que deu origem a muitos comentários discordantes.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 339 mil mortos e infetou mais de 5,2 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (97.087) e mais casos de infeção confirmados (mais de 1,6 milhões).

Seguem-se o Reino Unido (36.675 mortos, mais de 257 mil casos), Itália (32.735 mortos, mais de 229 mil casos), Espanha (28.678 mortos, mais de 235 mil casos) e França (28.332 mortos, mais de 182 mil casos).

O Brasil, com mais de 22 mil mortos e 347 mil casos, é o segundo país do país do mundo em número de infeções, enquanto a Rússia, que contabiliza 3.388 mortos, é o terceiro, com mais de 335 mil.

 
 
1 / 0
Pub - Ulahlah - 250-1
Auchan 250

Diário

famatv-logo

Tudo sobre Famalicão no seu e-mail

Subscreva a nossa newsletter
e acompanhe a atualidade famalicense.